sábado, julho 08, 2017

NOSSA SENHORA DA ROSA MÍSTICA


Primeira aparição (Primavera de 1947)
Pierina, enfermeira no hospital de Montichiari, viu em um dos quartos, uma senhora muito bonita, de vestido roxo, com um véu branco na cabeça e no peito, três espadas. Seu semblante era de muita tristeza. Ela disse a Pierina apenas três palavras: “oração, sacrifício e penitência”. Depois, calou-se e desapareceu.
Segunda aparição (13/07/1947)
De novo, a senhora apareceu a Pierina, numa sala de hospital. Vestia-se de branco e no peito trazia três rosas: uma branca, outra vermelha e a terceira, amarelo-dourada. Ela, nesse dia, apresentou-se e disse porque veio e o que queria. “Sou a mãe de Jesus e de todos vós. O Senhor envia-me a fim de promover uma devoção mariana mais eficaz entre todos os sacerdotes. Prometo a todos, os que me honrarem mais, a minha proteção, o florir de vocações e muitas conversões. Peço que se inicie todo o dia primeiro de cada mês, uma trezena. Prometo a todos que fizerem esta trezena, muitas graças e santidade de vocações. Desejo que o dia 13 de julho de cada ano seja dedicado a Maria Rosa Mística”.
Terceira aparição (22/10/1947)
Nossa Senhora aparece novamente a Pierina, desta vez, na capela do hospital, e lhe diz, entre outras coisas: “Coloco-me como medianeira entre os homens e o meu divino Filho e, em particular, entre as almas dos religiosos. Ele está cheio de tristeza com as ofensas que recebe diariamente e quer dar curso a sua justiça.” Depois, desaparecendo, diz: “Vive de amor”.
Quarta aparição (16/11/1947)
Deu-se na igreja de Montichiari e Nossa Senhora disse ainda que o seu divino Filho estava muito magoado com as ofensas que continuava a receber dos homens e com os pecados contra a santa pureza. “Ele está para enviar um dilúvio de castigos… Intervim para implorar ainda a misericórdia, e em reparação peço oração e penitência.”
– Pierina pergunta-lhe: “Seremos perdoados?”.
– Nossa Senhora responde: “Sim, contanto que se combata em toda a parte o pecado da impureza”.
Quinta aparição (22/11/1947)
Nesta aparição, Nossa Senhora promete a Pierina que voltará à igreja no dia 8 de dezembro, pelo meio-dia, quando será a ‘Hora da graça’. Pierina pergunta-lhe: “O que significa ’Hora da graça’?” – Nossa Senhora responde: “Conversões em massa”.
Sexta aparição (07/12/1947)
Nossa Senhora aparece a Pierina, dentro da igreja. Estava enrolada em um manto branco e trazia ao lado um menino e uma menina. Neste momento, Pierina pôde contemplar o coração resplandecente de Nossa Senhora e ouvir: “Quer mostrar o meu coração imaculado, que dos homens é pouco conhecido.” Pierina pergunta-lhe: “Quem são essas crianças?” – “São Jacinta e Francisco”, responde Nossa Senhora. “Eles a acompanharão nos momentos difíceis, pois embora crianças, menores que você, sofreram bastante. O que peço a você é: bondade e simplicidade com essas crianças”. E desapareceu.
Sétima aparição (08/12/1947)
Como toda a população de Montichiari ficou sabendo que Nossa Senhora ia aparecer nesse dia, a igreja, ao meio-dia, ficou superlotada. Havia tantas pessoas que Pierina encontrou dificuldade para chegar ao lugar onde estava habituada a rezar. Ajoelhou-se e deu início à reza do terço. De súbito, exclamou: ”Oh! A senhora”.  Neste momento, fez-se na igreja silencio absoluto. Nossa Senhora aparece sorrindo, de pé, sobre uma escadaria branca, enfeitada nas laterais de rosas brancas, vermelhas e amarelas; e diz: “Eu sou a imaculada conceição. Sou a mãe da graça, mãe do meu divino Jesus Cristo”. Descendo os degraus, continuou: “Aqui em Montichiari, quero ser chamada ‘Rosa Mística’. Desejo que todos os anos, no dia 8 de dezembro, tenha lugar, ao meio-dia, a ‘Hora da Graça Universal’, quando numerosos favores para a alma e para o corpo serão distribuídos. Os bons não deixem de orar pelos seus irmãos pecadores. Comuniquem, rapidamente, este meu desejo ao Papa Pio XII, para que a ‘Hora da Graça’ se transforme num hábito praticado por todos, em todas as partes do mundo“.  Curas: neste dia, deram-se duas curas, a de uma criança de 5 ou 6 anos que, por causa da poliomielite, não podia andar nem manter-se de pé, e a de uma moça de 26 anos, que a 12 anos não falava. Ambos ficaram curados instantaneamente.
Aparições em Fontanelle (1966)
A partir de 1966, Pierina mudou-se para Fontanelle (subúrbio rural, a 2 km de Montichiari), onde as aparições continuaram, principalmente numa fonte, onde Nossa Senhora, num gesto amoroso de humildade, tocou com seus dedos a água, batizando-a como ‘Fonte da Graça’. Sucederam-se muitas outras aparições nas quais Nossa Senhora reforçava os pedidos que foram feitos desde a primeira. Destacamos duas:
Em 17 de Janeiro de 1971
Nossa Senhora volta a insistir a Pierina a respeito da reza do terço, dizendo: “Um terço bem rezado devotamente é um penhor para qualquer intercessão; é a contemplação dos mistérios da fé. O ‘Pai-Nosso’ é a prece da união. A prece do Senhor. O ‘Glória’ é a prece da glorificação da Santíssima Trindade, Diga aos meus filhos que rezem o santo terço”.
Em data recente (1984)
Nossa Senhora pede a Pierina que providencie 40 imagens de “Maria Rosa Mística” tal como ela a via e que as colocasse na escadaria da fonte de Fontanelle. Ela própria iria benzer estas imagens e depois de terem sido bentas, deveriam ser distribuídas pelo mundo todo, como uma forma de Nossa Senhora estar presente onde quer que uma dessas imagens esteja. Assim foi feito, e no dia 08/09/1984, Nossa Senhora aparece nesta fonte, benze estas imagens e diz: “Como prometi, onde quer que cheguem estas imagens eu estarei presente, e levo graças abundantes do Senhor”.
Nossa Senhora da Rosa Mística
“Instalei, no mais fundo da minha alma, um altar ornado de rosas de todas as cores e entronizei o vosso nome como excelsa padroeira desse altar humilde que, como estais em mim, se torna grandioso pela vossa presença, manifestada pela rosa especial advinda do vosso coração sacratíssimo, Nossa Senhora da Rosa Mística. Em profunda concentração, oro por toda a humanidade pedindo o vosso amparo, especialmente nesta hora em que nos encontramos nas encruzilhadas da incompreensão e, mais do que nunca, precisamos de vossa intercessão junto ao Pai Celeste para colocar no coração dos homens, especialmente dos seus dirigentes, o mesmo modelo de altar que criei no meu coração, santificando os povos da Terra e acabando com os atos odiosos que os homens perpetram, muitas vezes em nome de Deus, um deus que desconhecemos e que deveríamos abjurar. Nossa Senhora da Rosa Mística, mãe do divino Mestre Jesus, despertai as vocações para o bem e, se possível, para as missões de salvação de povos inteiros que padecem de grandes males como a doença, a fome e as guerras. Salve rainha, mãe de misericórdia, console os que precisam ser consolados, proteja os que precisam de proteção e gere o bem no coração dos homens que conduzem os povos pelas sendas escuras da perdição. Maria, Senhora da Rosa Mística, rogai por nós”.